MEUS SEGUIDORES

domingo, 6 de maio de 2012

DEUS ESCREVE CERTO POR LINHAS TORTAS.

DEUS NUNCA ERRA....


Há muito tempo, num reino distante, havia um rei que não
 acreditava na bondade de DEUS. 

Havia, porém, um súdito que em todas as situações lhe dizia:"Meu rei, não desanime porque tudo que Deus faz é perfeito, Ele não erra! 

"Um dia, eles saíram para caçar e uma fera atacou o rei. O súdito conseguiu matar o animal, mas não pôde evitar que sua majestade perdesse um dedo da mão. Furioso e sem mostrar gratidão por ter sido salvo, o nobre disse: "Deus é bom? Se Ele fosse bom eu não teria sido atacado e perdido o meu dedo." 

O servo apenas respondeu: "Meu Rei, apesar de todas essas coisas, só posso dizer-lhe que Deus é bom, é que mesmo perder um dedo é para o seu bem. 

Tudo o que Deus faz é perfeito, Ele nunca erra!" 

Indignado com a resposta, o rei mandou prender o súdito.

Tempos depois, saiu para uma outra caçada e foi capturado por selvagens que faziam sacrifícios humanos. Já no altar, prontos para sacrificar o nobre, os selvagens perceberam que a vítima não tinha um dos dedos e o soltaram: ele não era perfeito para ser oferecido aos deuses. 

Ao voltar para o palácio, mandou soltar o súdito e o  recebeu  muito afetuosamente. 

"Meu caro, Deus foi realmente bom comigo! Escapei de ser sacrificado pelos selvagens justamente por não ter um dedo. Mas tenho uma dúvida. Se Deus é tão bom, por que permitiu que você, que tanto o defende, fosse preso?" 

"Meu rei, se eu tivesse ido com o senhor nessa caçada, teria sido sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum.

Por isso, lembre-se:

tudo o que Deus faz é perfeito, Ele nunca erra!

"Muitas vezes nos queixamos da vida e das coisas aparentemente ruins que nos acontecem, esquecendo-nos que nada é por acaso e que tudo tem um propósito.

Todas as manhãs, ofereça seu dia à Presença Divina que habita seu coração.

Peça-Lhe para inspirar seus pensamentos, guiar seus atos, apaziguar seus sentimentos. E nada tema, pois DEUS NUNCA ERRA!( Autoria desconhecida)





Presentes Divinos


A cada dia, cada instante, Deus nos dá uma graça. Mas não vemos assim, pois o que nos chega naturalmente, recebemos como se nos fosse devido.
A vida nos é devida, o ar nos é devido, a saúde nos é devida, o emprego nos é devido... e quando deixamos de ter, ou temos menos, reclamamos. Mas não nos lamentamos só quando perdemos tudo, uma coisinha nos basta. Quer dizer, se uma coisa nos falta, todas as outras que ficaram deixam de ter importância. Isso é prova de nossa ingratidão ao Deus-Pai.
Deus nos dá presentinhos diários: uma refeição, um sorriso, um dia a mais de trabalho, alguma coisa que alguém nos disse e que precisávamos ouvir, um sorriso num momento de fraqueza, um encontro inesperado, um dia a mais com as pessoas que amamos, a saúde ou a força para resistir a uma dificuldade... e outras ainda que, de tão natural, nem percebemos.
Você acha mesmo que não recebe nada? Você anda, fala, canta, ri, respira, tem um teto, um agasalho, pão, amigos, chuva, sol, noite pra descansar, dia pra aproveitar... tem um amor ou já teve (e quem teve, tem ainda do que se lembrar).
Coisas negativas nunca devem anular as positivas. É o contrário que deve acontecer. A luz é mais forte que a escuridão. Entramos em uma sala escura com uma vela acesa e tudo o que está no lugar fica mais visível. Isso é o poder da luz.
Traga então, cada dia, sua velinha acesa nas mãos. Essa velinha é o maior presente que Deus te dá pra clarear sua vida, sua visão do mundo. Quando algo negativo acontecer, estenda a mão e veja mais claro tudo o que está a sua volta. E quando algo bom chegar pra você, é sua a luz que vai ficar ainda mais forte e mais brilhante. Guarde, carinhosamente, esse instante!
Seja agradecido! Não espere grandes ocasiões ou grandes milagres para dizer "obrigado, Senhor."
Deixando de apreciar as gotas de bênçãos, perdemos muito do poder que elas têm nas nossas vidas; olhando para elas com olhos sempre novos, outras janelas se abrem e percebemos que a vida é um poço de oportunidades.
Letícia Thompson




ANDAR COM FÉ( Autoria desc.)


Andar com fé
é saber que cada dia é um recomeço,
é ter certeza que os milagres acontecem
e que os sonhos podem se realizar.
Andar com fé
é saber que temos asas invisíveis,
é fazer pedidos a estrelas cadentes
e abrir as mãos para o céu.
Andar com fé é olhar sem temor
as portas do desconhecido,
ter a inocência dos olhos da criança,
a lealdade do cão,
a beleza da mão estendida
para dar e receber.
Andar com fé
é usar a força e a coragem
que habitam dentro de nós
quando tudo parece acabado.
Andar com fé
é saber que temos tudo a nosso favor,
é compartilhar as bênçãos multiplicadas,
é saber que sempre seremos surpreendidos
com presentes do Universo,
é a certeza de que o melhor sempre acontece
e que tudo aquilo que almejamos
está totalmente ao nosso alcance.
Basta só Andar com Fé
 
Presente de Natal

Apressada, entrei em um shopping center para comprar alguns presentes de última hora para o Natal. Olhei para toda aquela gente ao meu redor e me incomodei um pouco. "Ficarei aqui uma eternidade; com tantas coisas para fazer", pensei. O Natal já havia se transformado quase em uma doença.
Estava pensando em dormir enquanto durasse o Natal. Mas me apressei o máximo que pude por entre as pessoas que estavam no shopping. Entrei numa loja de brinquedos. Mais uma vez me surpreendi reclamando para mim mesma sobre os preços. Perguntei-me se os meus netos realmente brincariam com aquilo.
Parti para a seção de bonecas. Em uma esquina encontrei um menino de aproximadamente 5 anos segurando uma boneca bem cara. Estava tocando seus cabelos e a segurava com muito carinho. Não pude me conter; fiquei olhando para ele fixamente e perguntava-me para quem seria a boneca que ele segurava com tanto apreço, quando dele se aproximou uma mulher que ele chamou de tia. O menino lhe perguntou:
- Pra essa boneca tem dinheiro suficiente?.
E a mulher lhe falou com um tom impaciente:
- Você sabe que não tem dinheiro suficiente para comprá-la.
A mulher disse ao menino que permanecesse onde estava enquanto ela buscava outras coisas que lhe faltavam. O menino continuou segurando a boneca. Depois de um tempo, me aproximei e perguntei-lhe para quem era a boneca. Ele respondeu:
- Esta é a boneca que minha irmãzinha tanto queria ganhar no Natal. Ela estava certa de que Papai Noel iria trazê-la.
Então eu disse ao o menino que o Papai Noel a traria. Mas ele me disse:
- Não, Papai Noel não pode ir aonde minha irmãzinha está. Eu tenho que entregá-la à minha mãe para que ela leve até a minha irmãzinha.
Então eu lhe perguntei onde estava a sua irmã. O menino, com uma feição triste, falou:
- Ela se foi com Jesus. Meu pai me disse que a mamãe irá encontrar-se com ela.
Meu coração quase parou de bater. Voltei a olhar para o menino. Ele continuou:
- Pedi ao papai para falar para a mamãe para que ela não se vá ainda. Para pedir-lhe para esperar até que eu volte do shopping.
O menino me perguntou se eu gostaria de ver a sua foto e respondi-lhe que adoraria. Então, ele tirou do seu bolso algumas fotografias que tinham sido tiradas em frente ao shopping e me disse:
- Vou pedir para o papai levar estas fotos para que a minha mãe nunca se esqueça de mim. Gosto muito da minha mãe, não queria que ela partisse.
Mas o papai disse que ela tem que ir encontrar a minha irmãzinha.
Me dei conta de que o menino havia baixado a cabeça e ficado muito calado. Enquanto ele não olhava, coloquei a mão na minha carteira e retirei algumas notas. Pedi ao menino para que contasse o dinheiro novamente.
Ele se entusiasmou muito e comentou:
- Eu sei que é suficiente.
E começou a contar o dinheiro outra vez. O dinheiro agora era suficiente para pagar a boneca. O menino, em uma voz suave, comentou:
- Graças a Jesus por dar-me dinheiro suficiente. Eu acabei de pedir a Jesus que me desse dinheiro suficiente para que eu comprar esta boneca para a mamãe levar até a minha irmãzinha e Êle ouviu a minha oração. Eu queria pedir-lhe dinheiro suficiente para comprar uma rosa branca para a minha mãe também, mas não o fiz. Mas Êle acaba de me dar o bastante para a boneca da minha irmãzinha e para a rosa da minha mãe. Ela gosta muito de rosas brancas....
Em alguns minutos a sua tia voltou e eu, despercebidamente, fui embora.
Enquanto terminava as minhas compras, com um espírito muito diferente de quando havia começado, não conseguia deixar de pensar naquele menino.
Segui pensando em uma história que havia lido dias antes num jornal, a respeito de um acidente, causado por um condutor alcoolizado, no qual uma menininha falecera e sua mãe ficara em estado grave. A família estava discutindo se deveria ou não manter a mulher com vida artificial.
Logo me dei conta de que aquele menino pertencia a essa família. Dois dias mais tarde li no jornal que a mulher do acidente havia sido removida das máquinas que a mantinham viva e morrido. Não conseguia tirar o menino daminha mente.
Sai, comprei um buquê de rosas brancas e as levei ao funeral onde estava o corpo da mulher. E ali estava; a mulher do jornal, com uma rosa branca em uma de suas mãos, uma linda boneca na outra, e a foto de seu filho no shopping. Eu chorava e chorava...
Minha vida havia mudado para sempre. O amor daquele menino pela sua mãe e irmã era enorme e pensei: "que em um segundo, um condutor alcoolizado havia destroçado a vida daquela criança".
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muitas vezes, a correria de nossas vidas nos impede de dar atenção ao que realmente vale a pena. E agradecer é uma das coisas que acabam ficando esquecidas na correria do dia-a-dia.
Pode ser por um simples favor ou por uma grande atitude, mas o agradecimento nunca deve ser esquecido. Obrigado Por Sua Atenção e Pelo Carinho e por ter vindo até aqui e deixando seu comentário importantíssimo para o engrandecimento das postagens. SEJA SEMPRE BEM VINDO(A) Profª Lourdes Duarte