MEUS SEGUIDORES

sexta-feira, 21 de abril de 2017

VIDA MONÓTONA OU TRISTE Profª Lourdes Duarte.





VIDA MONÓTONA OU TRISTE
Profª Lourdes Duarte.

Você já chegou a se questionar: Porque a minha vida se tornou tão monótona ou triste?
Quando criança os seus sonhos eram os mais incríveis que podiam existir, hoje são apenas incertezas se um dia serão concretizados, pois a vida é uma constante mudança e querendo ou não se tornou sua parceira fiel. Somos todos viajantes no tempo. O futuro de cada um está escrito no seu próprio passado. Ou seja, cada um encontra na vida exatamente aquilo que traz dentro de si mesmo. O ambiente, o presente e o futuro somos nós que criamos e isso só depende de nós.
Então, continue sonhando com os pés no chão e não sonhos mirabolantes como os de criança e com dignidade, lute para que os mesmos se realizem.


quarta-feira, 19 de abril de 2017

DEUS É PAI, DEUS É BOM... Profª Lourdes Duarte.

DEUS É PAI, DEUS É BOM...
Profª Lourdes Duarte.

     Deus não espera que diante de uma luta, de um sofrimento, de uma má notícia, de uma dificuldade sejamos superiores, que não derramemos uma lágrima, que não sintamos nada, até porque somos humanos.

    Mas Ele espera que não nos curvemos à nenhuma das coisas supérfluas, mas que busquemos e recorremos a Ele em todos os momentos de dificuldades e amarguras. Ele espera que confiemos verdadeiramente no seu amor infinito por nós.

   Lembrem-se, Se deixássemos de nos preocupar tanto com nós mesmos, se confiássemos mais na misericórdia Divina e ocupássemos mais a nossa mente com meios de fazer o nosso próximo feliz, a paz seria abundante em nossas vidas. Deus é pai, Deus é bom, e como pai ele aconselha o filho que tem um relacionamento de fé com Ele.




sexta-feira, 7 de abril de 2017

LIBERDADE E PAZ NA ACEITAÇÃO, É CHEGADA A HORA.




LIBERDADE E PAZ NA ACEITAÇÃO, É CHEGADA A HORA.

Boa parte dos sentimentos que nos levam em direção a ter uma boa paz interior e ser serenos, depende de como estamos nos sentindo em relação à nossa vida, quais sentimentos temos em relação ao que temos, as nossas conquistas e a quem somos.
Basicamente não é nem o que somos, nem o que temos, e tampouco o que conquistamos, mas, como lidamos com tudo isso. Exato. É uma simples questão de percepção sobre o nosso universo particular. Existem pessoas muito ricas que se sentem muito frustradas por serem escravas das coisas que possuem e por nunca conseguirem se sentir saciadas. Pessoas muito belas, descontentes com as suas aparências e tristes.
As insatisfações constates são um terreno fértil para florescer a angústia e a frustração. Apesar do clichê aparente, a aceitação nos traz um sentimento de paz. Nada contra termos objetivos e querer coisas novas nas nossas vidas, o que deve ser levado em conta é que ninguém será feliz, após mudar de cidade, de país, de trabalho, se casar, ter um filho, quando for mais rico, mais magro ou qualquer coisa nesse sentido. O sentimento de gratidão pelo o que somos, entendendo e aceitando calmamente as nossas características mais pessoais, o que nos tornam únicos, enfim, a simples aceitação é a chave para a liberdade emocional.
Nunca seremos felizes sem aceitação. Pessoas ressentidas e frustradas nunca poderão ser felizes, porque remoem em seus interiores a quão injusta é a vida, desejam coisas impossíveis e não reconhecem que o imutável e o inexorável deve ser aceito, e portanto, a aceitação não é uma atitude de otimismo, mas de inteligência.
Afinal, o quanto se perde de energia reclamando de coisas que não se pode mudar. Devemos ansiar e ter força de vontade para nos desenvolver e evoluir como criaturas, mas aceitando os nossos limites e aceitando a nossa própria natureza. Existem pessoas que tem muito pouco e são felizes, por outro lado, existem pessoas que tem muito e são muito infelizes, tudo isso acontece por uma abordagem da nossa percepção. Quando consideramos que já temos tudo o necessitamos, nos invade uma onda de serenidade que nos dá liberdade para buscar coisas novas. É a beleza de um paradoxo. A partir do momento da aceitação da nossa condição, nos sentimos fortes o bastante para seguir adiante e conseguir novas conquistas.
O que estamos fazendo para nos aceitar?
Autor desconhecido

quinta-feira, 6 de abril de 2017

A VIDA É BREVE. Profª Lourdes Duarte




A VIDA É BREVE


      O tempo em que ficamos neste mundo é tão breve, para que ficarmos alimentando ódios e rancores. Talvez isto aconteça porque não percebemos que os momentos bons são raros e os detalhes são únicos.
Vivemos em busca de satisfações efêmeras, enquanto nossas realizações devem ser fundamentadas nas coisas boas, úteis, concretas e que estão ao nosso alcance, e para consegui-las, devemos seguir por caminhos do bem, pisando firmes no chão, sempre olhando para frente, porque novos horizontes surgem a cada dia que acordamos para a vida.
Viver não é fácil, mas devemos viver cada dia como se fosse o último, porque a vida é curta e para sermos felizes devemos vencer os obstáculos que surgirem a nossa frente. Retirar as pedras do caminho e superar os espinhos que por ventura surgir.
São muitos os obstáculos que temos que superar a cada dia, mas, para vencer estes obstáculos, devemos ser prudentes, perseverantes, ter fé, acreditar e ter muita sabedoria para saber reconhecer até onde pode seguir e o momento certo de recuar, para depois retornar.
Como diz Albertino Fernandes: “A teimosia transforma as grandes barreiras em pequenos obstáculos e constrói os grandes vencedores”.
Se a vida é breve, o amanhã é uma incógnita, por isso devemos ser teimosos, alimentar sonhos, pensar no amanhã longínquo, porque enquanto haver amanhã, enquanto o sol brilhar e a vida ressurgir a cada amanhecer são mais chances para sermos felizes e acreditarmos que somos capazes e merecedores da tão sonhada felicidade.
*******
Multiplique os momentos felizes, mesmo com os obstáculos. Nunca desista, você é capaz de vencer todos os empecilhos da vida, lembrando que com amor e união e vida fica mais bela e você vive mais e melhor.

Profª Lourdes Duarte