MEUS SEGUIDORES

segunda-feira, 28 de maio de 2012

PADRE LÉO, O GRANDE PENSADOR DE DEUS.

Padre Léo, um Vaso para Cristo

Padre Léo, um Vaso para Cristo:

A Igreja é grande e forte por causa de seus grandes filhos. Sobretudo os Santos fizeram da Igreja a grande Instituição que soube superar a queda do Império Romano, e lentamente, durante seis séculos trabalhou o coração dos bárbaros e moldou a civilização ocidental. Foram esses gigantes da fé que transformaram o mundo.

Um dos grandes filhos da Igreja, em nossos dias, foi o querido Pe. Léo que hoje o Pai chamou para junto de Si.

Conheci o padre Léo quando ele era ainda um adolescente de 17 anos de idade, há 29 anos atrás, lá no Biguá, um lugarejo escondido na Serra da Mantiqueira aonde eu ia de vez em quando passar uns dias na roça, na casa da tia Quinha.

Um dia encontrei este jovem Léo tocando violão na bandinha que animava a Missa na capela do lugarejo; ali eu fazia algumas palestras para jovens e adultos quando estava lá, a pedido do velho e amigo padre Arlindo, de Delfim Moreira.

O jovem Léo era meio arteiro, gostava de um cigarro, de uma bebida e me disse que até de umas drogas. Mas Deus começou a transformar o seu coração; sua família veio morar em Itajubá/MG, e Léo foi estudar no SENAI; ali ele foi aluno de um irmão meu que dava aula de matemática; me dizia esse irmão, o Paulo Aquino, que Léo era arteiro, fazia farra na escola, e ainda promovia bagunças com os colegas.

Era meio adepto da teologia da libertação e avesso às coisas mais espirituais. Mas Deus foi tocando o seu coração e o chamou para o sacerdócio depois de participar da Renovação Carismática Católica; acabou indo para o seminário do Sagrado Coração de Jesus. Aos poucos foi se tornando um grande pregador por todo o Brasil e principalmente através da Canção Nova se tornou muito conhecido e amado.

Viajou pelo mundo todo pregando nos EUA, nos paises da América do Sul, no Japão, Portugal e Espanha. Podemos dizer que se tornou no pregador que mais Retiros pregava pela Canção Nova e que mais gente arrebanhava para esses Retiros.

São Paulo disse que “Temos esse tesouro em vasos de barro para que transpareça claramente que este poder extraordinário provém de Deus e não de nós” (2Cor 4,7). Pe. Léo foi um exemplo vivo e real desta palavra; seu poder de pregar era extraordinário, poder de Deus colocado em um vaso de barro; que com o tempo se “quebrou”, mas mesmo quebrado exalará por muito tempo e por muitos lugares o perfume de Cristo.

Pe. Léo deixou-nos uma Obra maravilhosa que é a “Comunidade Bethânia”, que fundou para acolher e tratar de jovens dependentes de álcool e de drogas. São cinco Casas em todo o Brasil, sendo uma delas em Lorena/SP; a qual tivemos a alegria de ter fundado como antiga “Casa de Emaús” e depois passado para a Comunidade do Pe. Léo. Só nesta Casa em Lorena são cerca de setenta jovens em recuperação.

Este trabalho do Pe. Léo precisa continuar a crescer e precisa então receber o apoio de todos que o amaram e sobretudo daqueles que se beneficiaram do seu trabalho. Não se cobra nada do jovem que ali chega para tratamento, e lhe é dado amor, espiritualidade, e vida nova.

Pe. Léo nos deixou também um acervo espiritual muito grande em seus livros e palestras, tratando, sobretudo da restauração da pessoa humana, pela cura interior, e pela restauração da família. Na Comunidade Bethânia era um incansável pregador de retiros para casais e para jovens, mas sabia atingir muito bem o coração de todos com uma pedagogia especial, com alegria e profundidade.

Como sacerdote, percorreu uma caminhada que nos faz lembrar a do próprio Jesus. Pregou durante um bom tempo, caminhando pelas estradas do mundo, e depois viveu a sua paixão. Foi um ano inteiro de luta contra um câncer (linfoma) que acabou levando-o para Deus. Mas ele não se deixou vencer pela dor e pelo sofrimento; em suas palavras e gestos nunca transpareceu a sua dor e sempre a suportou na fé e na esperança.

Quinze dias antes de falecer ainda fez a sua última pregação na Canção Nova, no aniversário do Pe. Jonas, no dia 21 de dezembro. Uma pregação que tocou a muitos; com a sua vida viveu aquilo que pregou. É significativo que o Pe. Léo foi velado e sepultado na Primeira Sexta-Feira do ano, dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, que ele tanto amou. Nesta festa a Igreja nos mostra a misericórdia do Coração de Jesus que vem ao encontro da nossa miséria, que tão bem o Pe. Léo experimentou especialmente em sua juventude. Neste Sagrado Coração ele viveu sempre ancorado, e tomou como símbolo da sua Comunidade Bethânia. Hoje este Coração se abriu para acolhê-lo por toda a eternidade. Que de lá ele possa interceder por cada um de nós na presença do Senhor.


Prof. Felipe Aquino - 04/01/2007

Fonte: Canção Nova

 

“É preciso ter uma Meta, e a nossa meta é muito grande.
Quem se acostuma com coisa pequena não pode ir para o Céu.
Quem se contenta com pouco vai para o Inferno, que é muito Fácil, e vai cavando sua cova,já. O Céu é para quem sonha grande, pensa grande, Ama grande e tem coragem de viver pequeno.
(Padre Leo) 

 Buscar as coisas do Alto. Não podemos ter medo de sonhar com grandes ideais. Triste de quem se acomoda e se apequena com reduzidos propósitos. A vida é feita de grandes projetos. O ser humano é chamado para grandes ideais. Os grandes sonhos nos dão força para superarmos os pequenos e grandes obstáculos."( Pe Leo)

  "As feridas do coração são alimentadas pela inveja, pelo rancor, pelo julgamento e pela atitude crítica. Em geral, o que publicamente criticamos nos outros acabamos fazendo também. A vida é sábia. Jesus ensinou, com uma clareza estupenda, que devemos fazer aos outros aquilo que desejamos para nós. Logo, não devemos fazer para ninguém o que não queremos para nós mesmos."( Pe Leo)

  "O passado precisa ser assimilado, nunca ignorado. Os erros cometidos, por nós e pelos outros, são ensinamentos fabulosos quando nos dispomos a aprender o que eles têm a nos ensinar. Quem não aprende com os erros cometidos acaba sendo vítima de si mesmo. Na vida só existe uma lei: ou a gente aprende ou aprende."( Pe Leo)
 

Quem tem seus valores guardados dentro do coração não precisa nunca de temer a presença de ladrões. Os ladrões só conseguem roubar aquilo que temos fora de nós. Essa é uma grande vantagem de quem é simples e pobre. Não se sente ameaçado o tempo todo.”( Pe Leo)

“Se você isolar o problema na vida,você não vê a vida”.

“O discurso dos derrotados é aquele que tenta justificar todos os erros cometidos encontrando o erro dos outros( Pe Leo).


"Amar é ensinar o outro a caminhar."

"Quando Deus opera ele não deixa cicatriz."

"A solução do seu problema não pode ser problema para as pessoas que estão do seu lado."

"Cura interior não se pega por contaminação, mas sim por luta pessoal".

"Até a saliva de Jesus é pra limpar nossa sujeira." ( Pe Leo)

 
Esta é a estória de tres filhos que competiam entre si para oferecer o melhor presente que podiam dedicar à sua querida mãezinha no seu octagéssimo aniversário, voce encontrará o texto do Pe. Leo em diversas palestras gravadas em CD’S e divulgados pela Canção Nova, aqui vou apresentá-la numa versão um pouco resumida e diferente, procure conhecer a original.

 
Palestras - Coletâneas
 

PAPAGAIO MARROM

Padre Leo conta a estória de três filhos que ficaram multimilionários e queriam agradar sua octogenária mãezinha que faria aniversário no mês seguinte.
Após uma reunião de familia para organizar uma festa, cada um teve uma grande idéia, mas não quiseram compartilhar um com o outro, pois cada um queria dar-lhe o melhor presente, valorizando o esforço e dedicação que sua Mãe teve para cria-los dando lhes condições de agora serem bem sucedidos na vida e na sociedade.
O primeiro, decidiu comprar-lhe uma grande mansão, substituindo aquela casinha humilde que eles moravam desde criança, então buscou nas imobiliárias a melhor casa da cidade, a comprou e contratou um mordomo e empregados para cuidar da casa, porque afinal de contas sua mãe merecia muito mais.
O segundo, decidiu comprar-lhe uma limusine, com um motorista, para que pudesse levar sua mãe onde quer que ela quisesse ir.
O terceiro, foi um pouco mais além, não queria dar-lhe simplesmente um bem material, conhecendo bem a sua mãe, sabendo que ela era muito religiosa, rezava sempre, gostava muito de ler a palavra de Deus e com a idade avançada isto se tornara muito difícil para ela.
Ele havia ouvido falar que existia uma ave raríssima, “Um Papagaio Marrom”, que fora treinado por uns Monges Beneditinos que moravam num convento no alto de uma montanha e que esse famoso Papagaio Marrom sabia recitar a bíblia todinha de cor e salteado, era só dizer o capitúlo que ele recitava versículo por versículo.    Moveu mundos e fundos e se encheu de explicações e justificativas e foi buscar a tal ave maravilhosa.

Lá chegando, se ofereceu para comprar o bichinho falador e estava disposto a pagar uma quantia generosa por ele, depois explicou seus grandes motivos, dizendo que sua mãe já estava velhinha, amava muito a Deus, foi fiel sua vida toda, já estava quase morrendo e blá … blá… blá…, Os Monges não queriam vender o Papagaio, diziam eles ser uma ave raríssima, que o amavam muito, levara anos treinando-o para que decorasse toda a biblia e que lhes faria muita falta agora que já se haviam apegado a ele, que era como uma pessoa que fazia parte da família, e blá… blá… blá…, realmente deu muito trabalho convencer aqueles monges, mas ele conseguiu. Trouxe então o bichinho falador, experimentando seus dotes e já o treinando para dar uma linda mensagem para sua mãe.
No dia do aniversário, toda os parentes e amigos estiveram presentes, uma grande festa, com banquete, missa, orquestra, homenagens e etc… cada um ofereceu seu lindo presente, se encheram de orgulho com a alegria de sua Mãe, mais o dia foi cheio, muitas tarefas, muitos parentes e amigos para conversar e depois deixaram sua mãe descansar.
No semana seguinte retornaram, para saber o que sua mãe havia achado dos maravilhosos presentes, e lhe perguntaram.
E aí mãezinha, o que achou do meu presente ?
Milton, Meu Filho Você gastou muito dinheiro, comprando esta casa enorme, muitos quartos, muitos empregados, isto dá muito trabalho… Para uma velhinha que mal anda do quarto para a sala. Achei muito bom, mas vou preferir morar em minha casinha mesmo.

Marvim, Meu filho, para que aquele carrão, com aquele motorista paralisado, parece mais uma estátua de pedra. Já não tenho mais aonde ir, meus parentes e amigos já morreram quase todos e toda vez que preciso vocês me atendem, com carinho, dispensei o motorista e não vou usar aquele carro que só dará despesas.
Melvim, meu filho seu presente  realmente foi maravilhoso, você me conhece bem e soube escolher exatamente o que eu mais gosto,  já hávia muito tempo que não ganhava um presente tão bom como este, nunca comi um caldinho de frango tão gostoso como o daquele franguinho marrom.
Moral da História: A quem queriam agradar, à sua Mãe ou a si mesmos ? Agradar alguém e fazê-la totalmente feliz pode ser bem mais simples do que pode parecer !

Um comentário:

  1. Pe.Leo em minha vida,foi marco, antes e depois de conhece-lo. Aliás ainda venho até hoje o conhecendo através da riquesa de livros e pregações que ele deixou.
    José Luiz Vila Velha- Es

    ResponderExcluir

Muitas vezes, a correria de nossas vidas nos impede de dar atenção ao que realmente vale a pena. E agradecer é uma das coisas que acabam ficando esquecidas na correria do dia-a-dia.
Pode ser por um simples favor ou por uma grande atitude, mas o agradecimento nunca deve ser esquecido. Obrigado Por Sua Atenção e Pelo Carinho e por ter vindo até aqui e deixando seu comentário importantíssimo para o engrandecimento das postagens. SEJA SEMPRE BEM VINDO(A) Profª Lourdes Duarte