MEUS SEGUIDORES

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

DOIS MARES




                                  DOIS MARES


Narra o escritor Bruce Barton que, na Palestina, existem dois mares bem distintos.

O primeiro deles é fresco e cheio de peixes. Possui margens adornadas com bonitas plantas e muitas árvores as rodeiam, debruçando seus galhos em suas águas, enquanto deitam as raízes nas águas saudáveis para se dessedentarem.

Suas praias são acolhedoras e as crianças brincam felizes e tranquilas.

Esse mar de borbulhantes águas é constituído pelo rio Jordão. Ao redor dele, tudo é felicidade.

As aves constroem os seus ninhos, enchendo com seus cantos a paisagem de paz e de risos. Os homens edificam suas casas nas redondezas para usufruírem dessa classe de vida.

Mas, o rio Jordão prossegue para além, em direção ao sul, em direção a outro mar.

Ali tudo parece tristeza. Não há canto de pássaros, nem risos de crianças. Não há traços de vida, nem murmúrio de folhas.

Os viajantes escolhem outras rotas, desviando-se desse mar de águas não buscadas por homens, nem cavalgaduras, nem ave alguma.

Se ambos os mares recebem as águas do mesmo rio, o generoso Jordão, por que haverá entre ambos tanta diferença?

Num, tudo canta a vida, noutro parece pairar a morte.

Não é o rio Jordão o culpado, nem causa é o solo sobre o qual estão, ou os campos que os rodeiam.

A diferença está em que o Mar da Galiléia recebe o rio, mas não detém as suas águas, permitindo que toda gota que entre, também saia, adiante.

Nele, o dar e receber são iguais.

O outro é um mar avarento. Guarda com zelo todas as gotas que nele ingressam. A gota chega e ali fica. Nele não há nenhum impulso generoso.

O Mar da Galiléia dá de forma incessante e vive de maneira abundante.

O outro nada dá e é chamado de Mar Morto.


Tecendo um paralelo entre o coração humano e os dois mares descritos, podemos logo reconhecer se temos uma alma generosa igual ao Mar da Galiléia ou avarenta e ciosa qual o Mar Morto.

Os que estamos habituados a distribuir os dons e talentos que a Divindade nos concede, somos os seres agraciados com a alegria de viver, farto círculo de amigos, flores de carinho e folhagens de ternura.

Se nos habituamos a viver sós, sem nada repartir, dividir ou partilhar, estamos semeando solidão à nossa volta, tristeza e desamparo, porque a vida é qual imensa seara que retribui a sementeira, de acordo com os grãos cultivados.

Mensagens Angels http://www.mensagensangels.com.br/
Imagens: Cópias do Google

3 comentários:

  1. Oi, Lourdes!
    Ah, esse passarinho rosa fica na frente de tudo né? Pelo menos para mim que estou escrevendo no celular. SE tiver erro não liga! Eu estive aqui antes e segui seu blogue, daí perdi a conexão e só agora estou voltando para comentar seu texto.
    Eu li esse texto no blogue da Santa Casa quando uma amiga esteve internada e fui fazer-lhe companhia. Achei bastante interessante o paralelo que o autor fez dos dois mares. Porém, deve ter sido no passado, pois o Mar morto é um lugar extremamente bonito e procurado por turistas que querem descansar. A água é bastante salgada - 10 vezes mais que qualquer mar - porque ele se localiza no ponto mais baixo do mundo a quase 400 metros abaixo do nível do mar e os turistas procuram por causa dos benefícios para a saúde. A água é morninha... e não é preciso usar filtro solar, porque lá é o lugar onde tem menor incidência de raios UV-B. Cleópatra adorava ir se cobrir de barro preto. Viu? Não era só de leite que ela gostava de tomar banho.
    Acho que me empolguei e deixei o comentário enorme!
    Bom restinho de semana!!

    ResponderExcluir
  2. Lourdes, você já testou comentar no seu blogue? Depois me diz como se saiu, porque a tal corujinha fica em um lugar que ao clicar "publicar", não vai para a frente. Clica, clica...só que daí temos que rolar quase no rodapé para sair do cerco da coruja!
    Não se aborreça comigo, estou querendo apenas ajudar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luma! Obrigada pela visita e por seguir o blog. Obrigada por me avisar, retirarei a corujinha, mesmo gostando dela porque gosto mais que meus seguidores e leitores sintam-se a vontade e sem prejuisos na visita. Eu não sabia que prejudicava a visão poqeu ela rolava. Já retirei.Volte sempre, bjuss

      Excluir

Muitas vezes, a correria de nossas vidas nos impede de dar atenção ao que realmente vale a pena. E agradecer é uma das coisas que acabam ficando esquecidas na correria do dia-a-dia.
Pode ser por um simples favor ou por uma grande atitude, mas o agradecimento nunca deve ser esquecido. Obrigado Por Sua Atenção e Pelo Carinho e por ter vindo até aqui e deixando seu comentário importantíssimo para o engrandecimento das postagens. SEJA SEMPRE BEM VINDO(A) Profª Lourdes Duarte