MEUS SEGUIDORES

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A LIÇÃO DAS GAIVOTAS

                                      A Lição Das Gaivotas

 

 


Um enorme transatlântico partiu de movimentado porto rumo a outro continente.
Do convés, os passageiros acenavam lenços e agitavam mãos, em manifestações de adeuses.
No porto, muitas pessoas acenavam igualmente e lançavam beijos ao ar, num misto de antecipada saudade e carinho.
Pouco depois os que se encontravam no convés, ainda observando os que permaneciam em terra, puderam constatar uma nuvem de gaivotas prateadas acompanhando o imenso navio.
O seu vôo atraiu a atenção de quase todos, tanto pela algazarra que promoviam, quanto pelo capricho de suas voltas, ao redor da enorme máquina concebida pelo homem.
Passada uma meia hora de viagem, o tempo se tornou ameaçador.
Ondas de espuma se levantavam ao açoitar dos ventos violentos.
Esboçou-se no firmamento uma tremenda tempestade.
Com suas possantes máquinas, o navio cortava as vagas agitadas e parecia fazê-lo com dificuldade, dada a presença dos elementos da natureza em convulsão.
Um dos poucos viajantes que até então permanecia no tombadilho, contemplou as aves a voejar e as lastimou.
Como podiam elas, com suas asas tão débeis lutar contra o tufão, desamparadas nos céus ?
Elas nada tinham além do próprio corpo para o enfrentar.
Suas asas resistiriam ao vento implacável, se o possante navio, com suas máquinas que representam milhares de cavalos resistia com dificuldade ao tempo torrencial?
De repente, aquele homem que estava tão compadecido das avezinhas do mar, ficou perplexo. É que as pequenas gaivotas, estendendo as asas que Deus lhes deu abandonaram o navio na tempestade e se ergueram acima da tormenta, passando a voar numa região serena dos ares.
E a máquina, representando a ciência humana, prosseguiu na sua luta penosa para resistir à fúria dos elementos.
Em nossas vidas ocorre de forma semelhante.
Quando pretendemos lutar unicamente com nossos próprios meios, encontramos o fustigar dos ventos das dificuldades atrozes, que vergastam a alma e maceram o corpo.
Contudo, se utilizarmos os recursos da oração alcançaremos as possibilidades das asas das gaivotas.
Pelas asas poderosas da prece, o homem pode se elevar acima das tempestades do cotidiano e voar placidamente.
Envolvidos pelas luzes da prece, alcançaremos regiões que o vendaval das paixões inferiores não alcança.
Fortificados pela oração, enfrentaremos o mar agitado dos problemas, a fúria das vicissitudes, e chegaremos ao porto seguro que todos almejamos.
Quando o triunfo nos alcançar ou quando sofrermos aparentes quedas, busquemos Jesus e falemos sem palavras ao Seu coração de Mestre e Amigo.
Condutor vigilante de nossas almas, Ele assumirá o leme da frágil embarcação das nossas vidas, permitindo-nos singrar o mar agitado das nossas dores, com coragem e segurança.
A medida ideal será sempre ter fé acreditar, antes de agir, a fim de evitar que procedamos de forma imprevidente, o que nos conduziria ao desespero e a maior soma de dores.

Autor desconhecido
Fotos: cópias do Google

13 comentários:

  1. Pela fé podemos superar todas as dificuldades. Uma bela noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristian, obrigada pela visita, com certeza pela fé venceremos. Uma linda noite.

      Excluir
  2. Oi tudo bem? Obrigada pela visita.
    Que bom que gostou do meu blog, aqui também é lindo.
    estou seguindo de volta.
    Beijos.
    http://lizandramakeup.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lisandra! obrigada pela visita e por seguir o blog. Volte sempre será um prazer tê-la sempre presente. Abraçosss

      Excluir
  3. Oi Professora Lourdes muito grata por suas palavras e pela sua visita no Chá da tarde e por seguir o blog...
    A convido para um cházinho e mostrar os belos trabalhos da amiga Angela e convidá-la a visitar o blog dela.
    Amiga lindo texto para refletir...
    Não podemos caminhar sózinhos mas unir a nossa força com a força Divina ...tudo se torna mais fácil para superar as tempestades....
    Beijos de luz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Selma, obrigada pela visita e por comentar, com certeza irei conhecer seus outros blogs. Convido você a seguir o meu, será um prazer te ver junto aos meus seguidores. Abraços, uma linda noite.

      Excluir
  4. Oi querida, bos noite.
    Passando aqui pra ler as
    maravilhas que você sempre
    posta...bjs

    www.esmaltesdadeiia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Délis pela visita. Fico feliz que gostas das mensagens, volte sempre, esse cantinho é nosso. Bjuss

      Excluir
  5. Boa noite minha linda
    Que bonito texto pra ler e refletir
    Agradeço sempre pelas belas postagens
    Deixo um abraço carinhoso
    Bjuss
    Rita!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Rita! obrigada por está sempre presente, comentando, deixando suas reflexões. Volte sempre, bjuss

      Excluir
  6. Oi Lourdes, como anda a promoção?

    peço desculpas por não divulgar! Mas desejo sorte.

    Acho q ainda da tempo, é que eu tenho lido tanto...

    Se der tempo divulgo final de semana! bjoooos

    http://livroseuquerolersempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Irinia! sei como é a falta de tempo e principalmente a sua que gosta de ler e trabalha.Volte quando for possível. Abraços uma linda noite.Com certeza falta muito para o final do sorteio.

      Excluir
  7. Boa noite professora, tudo bem?
    nossa que texto bonito, gostei dos ensinamentos de hoje,
    Beijos querida.
    http://www.formaeconteudo.com/

    ResponderExcluir

Muitas vezes, a correria de nossas vidas nos impede de dar atenção ao que realmente vale a pena. E agradecer é uma das coisas que acabam ficando esquecidas na correria do dia-a-dia.
Pode ser por um simples favor ou por uma grande atitude, mas o agradecimento nunca deve ser esquecido. Obrigado Por Sua Atenção e Pelo Carinho e por ter vindo até aqui e deixando seu comentário importantíssimo para o engrandecimento das postagens. SEJA SEMPRE BEM VINDO(A) Profª Lourdes Duarte